Escola de ergonomia

Escola de ergonomia

Como a própria expressão indica, trata-se de um programa educacional e de treinamento para ensinar as pessoas a prevenir e a conviver com os problemas da coluna vertebral. No início da década de 70, iniciou-se um programa de treinamento desenvolvido no Hospital Dandery, na Suécia, denominado "Back School" e após, em 1974, a criação, por Hamilton Hall, da "Canadian Back Education Unit".

A Escola de Ergonomia do IMR é uma vertente da conhecida Escola de Postura que originalmente é denominada "Back School". Trata-se de um método de treinamento postural utilizado na prevenção e tratamento de pacientes com dor lombar, composto de informações teórico-educativas, contendo prática de exercícios terapêuticos para a coluna.

Desde sua criação, foram surgindo algumas modificações na forma de aplicação e nos parâmetros de avaliação em diferentes locais onde é adotada, para melhor adaptação de cada realidade, porém, sem se desvincular do seu fundamento principal, que é a compreensão da relação da dor com o aumento de tensão mecânica na realização das atividades da vida diária. Para isso, os programas de Escola de Ergonomia do IMR incluem os seguintes aspectos: a) noções de anatomia e fisiologia básica da coluna; b) epidemiologia e fatores causadores da dor lombar; c) informações sobre como reduzir a intensidade e frequência da dor lombar com modificação da postura nas atividades da vida diária; d) o valor dos exercícios para manutenção de uma coluna saudável.

Estudos demonstram que a lombalgia é a segunda causa de procura aos serviços de saúde e que até 84%  dos adultos têm ou terão um episódio de dor lombar em algum momento de suas vidas.

A lombalgia tem um impacto substancial sobre o estilo e a qualidade de vida. Uma pesquisa concluiu que 72% das pessoas que procuraram tratamento para dor lombar tiveram como causa nas suas atividades cotidianas ou relacionadas às lesões esportivas. No mesmo estudo, 60% disseram que foram incapazes de realizar algumas atividades de vida diária.

Entre os fatores de riscos, destacam-se: obesidade, trabalho fisicamente extenuante, tabagismo, idade avançada, sexo feminino, trabalho sedentário e posições estáticas, sedentarismo e mau condicionamento físico, estresse emocional no trabalho, baixo nível de escolaridade, insatisfação no trabalho e fatores psicológicos, como os transtornos de ansiedade e de depressão.

A Escola de Ergonomia é um programa interessante para Empresas e para Operadoras de Saúde.